Vínculo trabalhista existe mesmo se empregado atua em dois lugares

eletricista_foto_ilustracao

Mesmo trabalhando em mais de um lugar, o funcionário tem o vínculo de emprego reconhecido se atuar rotineiramente para o empregador, não arcar com nenhum custo para executar seu trabalho e conseguir demonstrar subordinação frente à empresa que o contratou. Assim entendeu a 1ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho ao não conhecer recurso de uma companhia que questionava o reconhecimento de relação de emprego com um médico do trabalho.
Em segunda instância, a empresa alegou que o médico era profissional autônomo e apenas prestava serviços. Segundo o contrato, o trabalhador atuava oito horas por semana na companhia fazendo exames admissionais, periódicos e demissionais, transferência de função, retorno ao trabalho e perícias médicas.
Justiça do Trabalho do RS constatou a existência de todos os elementos para caracterizar a relação de emprego e reconheceu o vínculo, que durou entre 1995 e 2012.O médico também era responsável por assessorar a área de segurança da empresa nos monitoramentos ambientais, na prevenção de acidentes de trabalho e na inspeção das áreas de riscos ocupacionais e na implementação de programas de saúde ocupacional, conservação auditiva, toxicologia industrial, ergonomia e qualidade de vida.
Porém, a Justiça do Trabalho do Rio Grande do Sul constatou a existência de todos os elementos para a caracterização da relação empregatícia e reconheceu o vínculo, que perdurou entre 1995 e 2012. O Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS) verificou que a empresa fornecia todo o equipamento e material necessário para os atendimentos médicos.
Assim, o profissional não assumia nenhum risco na atividade econômica por ele executada ? traço fundamental para a caracterização do trabalho autônomo. O TRT-4 enfatizou que o médico desempenhou suas atribuições na sede da empresa com pessoalidade, por mais de 17 anos, de forma ininterrupta.
Um dos argumentos utilizado pela empresa para descaracterizar a pessoalidade ? o fato de o profissional trabalhar para outras empresas ? foi julgado irrelevante pelo TRT-4, porque a lei trabalhista permite a pluralidade concomitante de vínculos empregatícios. Quanto à subordinação, a corte indicou que ela está implícita no próprio contrato, que atribui à empregadora a forma diária da prestação de serviço.
A negativa em segundo grau motivou recurso de revista da empregadora ao TST. A companhia alegou novamente que, no caso, não estavam presentes os requisitos necessários para caracterizar vínculo de emprego previstos na legislação trabalhista: onerosidade, pessoalidade, não eventualidade e subordinação.
Porém, a 1ª Turma do TST não conheceu do recurso de revista da empresa. Relator no TST, o ministro Walmir Oliveira da Costa destacou aspectos da fundamentação do TRT-4 comprovando a existência de contrato individual de trabalho, e não de trabalho autônomo. Além dos requisitos definidores da relação empregatícia previstos no artigo 3º da CLT, a corte gaúcha assinalou que a função do médico tinha como finalidade cuidar da saúde dos empregados da empresa, e, apesar de não estar diretamente atrelada à atividade-fim da empresa, “certamente integrava a atividade geral, pois detinha papel fundamental para a consecução de seus objetivos”.
Para o ministro Walmir, o tratamento dado aos fatos no acórdão do TRT-4 inviabiliza seu reexame pelo TST, por causa da Súmula 126. Com informações da Assessoria de Imprensa do TST.

Fonte: Revista Consultor Jurídico

Como motivar funcionários? Confira 7 dicas incríveis

equipe_motivada__foto_ilustracao

Pequenas mudanças podem fazer toda a diferença na rotina e nos resultados da sua empresa e é importante estar atento a elas. Por isso, preparamos um material completo com dicas preciosas de como motivar funcionários.

Acompanhe as dicas e se prepare para colher ótimos resultados na sua empresa!
Forneça feedbacks
Um dos pontos mais importantes para a motivação dos colaboradores é uma política bem desenvolvida e implementada de feedbacks. Cabe ao gestor estruturar a rotina da organização de forma a sempre ser possível apresentar os pontos altos e os pontos críticos da atuação de cada um.
Com elegância e profissionalismo, converse com o colaborador, mostrando como você espera que cada tarefa seja executada, o que tem sido conquistado com a ajuda do trabalho dele e o que precisa melhorar. É muito mais fácil estar engajado com uma empresa quando é possível perceber a sua importância e o seu papel lá dentro.
Mostre que sua empresa reconhece o trabalho do colaborador
Lembre-se sempre de dar aos colaboradores envolvidos os méritos das conquistas, por menores que elas sejam. Perceber a importância do seu trabalho e o reconhecimento por parte dos superiores tem um impacto enorme na motivação e no envolvimento de um time. Portanto, elogie e premie quando merecido.
Dê autonomia à equipe
Um ponto muito importante para os colaboradores de qualquer instituição é a conquista de relativa autonomia. É muito frustrante trabalhar no automático, apenas executando tarefas que foram repassadas, sem a oportunidade de pensar sobre o trabalho e tomar decisões relevantes para os resultados.
Por isso, quando possível, dê liberdade ao seu time, construindo oportunidades para que eles se destaquem e se diferenciem.
Tenha confiança
Confie no seu time e deixe que os funcionários saibam disso. Mostre que cada colaborador faz parte da sua equipe por uma razão e ofereça oportunidades sólidas e consistentes para que eles possam te surpreender, solucionando desafios e questões importantes da rotina da empresa.
No sentido contrário, permita que confiem em você: seja franco, leal e transparente,construindo uma relação fundamentada na confiança e na força do time.
Dialogue sempre
Escute o seu time, esteja aberto a ouvir suas demandas, críticas e sugestões. Essa atitude está amplamente relacionada à construção de confiança mencionada no tópico anterior. Um time motivado é aquele que sabe que pode contar com o seu líder nas mais diversas situações e que se utiliza do bom relacionamento em prol da empresa.
Ofereça treinamento
Não tem como esperar determinada postura do seu time se os colaboradores não forem preparados para executar aquelas tarefas. Portanto, organize uma cultura de treinamento e aperfeiçoamento constante. Esse investimento na sua equipe vai se transformar em motivação e melhores resultados para a sua empresa.
Fique atento ao ambiente e à qualidade de vida
Um bom salário deixou de ser suficiente para atrair e reter talentos dentro de uma organização. Hoje em dia, os colaboradores estão em busca de mais qualidade de vida e de um ambiente de trabalho agradável e desafiador.
Ofereça programas que se configurem como um diferencial da organização, como horário flexível, incentivo a cursos e esportes em grupo, suporte aos colaboradores, home office. Uma série de pequenas mudanças que pode ter um impacto enorme na forma como cada colaborador se relaciona com a empresa.
Agora que você já sabe como motivar funcionários, hora de colocar em prática! Adote uma nova postura na sua organização e perceba como isso fará toda a diferença no dia a dia.

Fonte: Sage Negócios

12 dicas de administração do tempo para quem é empreendedor

empreendedor_trabalhando_foto_ilustracao

A dificuldade em gerir o próprio tempo é um problema para grande parte dos profissionais. No entanto, ela atrapalha ainda mais aqueles que são donos de um negócio e, com isso, precisam gerir não apenas suas atividades pessoais e profissionais, mas garantir o sucesso de toda a empresa.
Na ânsia de dar conta de tudo, muitos empreendedores acabam assumindo jornadas extenuantes de 14, 16 e até 18 horas por dia. O resultado é muito estresse, pouca produtividade e, não raro, problemas na saúde e na família.
?Se o empreendedor não tiver produtividade vai virar escravo da empresa?, sentencia o especialista em gestão de tempo Christian Barbosa, autor do livro ?A Tríade do Tempo? (Editora Sextante), que fala sobre esse tema.
Sendo assim, saber administrar o relógio de forma inteligente é fundamental para qualquer dono de negócio. Quer lidar melhor com os ponteiros? Então veja abaixo algumas dicas valiosas:
1 ? Planeje o seu dia
O empreendedor que quer ser mais produtivo precisa se planejar. ?É muito importante que, no dia anterior, o empreendedor se planeje para o dia seguinte. Estamos falando da antiga listinha de tarefas. Imagine uma pessoa que vai ao mercado sem uma lista de compras. Com o dia de trabalho é a mesma coisa?, afirma Rodrigo Siqueira, professor do Ibmec/RJ e coach.
Para fazer este planejamento vale usar desde o bom e velho caderno até aplicativos de celular, indica o professor. Outra dica é elencar nessa lista as atividades prioritárias e secundárias. Assim fica mais fácil visualizar o que é mais importante.
2 ? Planeje a sua semana
Não basta apenas saber o que você fará no dia seguinte. Para realmente ter controle sobre o seu tempo, é importante também fazer um planejamento um pouco mais longo, de pelo menos três dias, explica o especialista Christian Barbosa.
?Planejar apenas o seu dia é o maior erro. Você fica mito refém das necessidades imediatas. Já quando você tem um planejamento mais longo, consegue abrir espaço para coisas mais estratégicas?, afirma.
3 – Aprenda a delegar
Um dos pontos que mais atrapalham o empreendedor na gestão de tempo é a dificuldade que ele tem em delegar tarefas.
?O empreendedor tem muita dificuldade em abrir mão do controle e até mesmo de contratar pessoas em quem ele confie?, afirma Siqueira, do Ibmec/RJ.

Com isso, o empreendedor acaba assumindo muitas tarefas operacionais, fica extenuado e não consegue se dedicar a funções mais estratégicas, que são fundamentais para o seu negócio. Portanto, aprenda a delegar.
4 ? Em vez de controlar, gerencie
Em vez de tentar dar conta de todas as tarefas, o empreendedor deve se preocupar em criar processos na empresa que o ajudem a gerenciar o trabalho das outras pessoas.
?Muitas vezes a empresa começa com pouca gente e o empreendedor precisa colocar mais a mão na massa. A questão é que, desde esse início, ele deveria se preocupar em criar processos para que outras pessoas possam assumir aquela tarefa no futuro?, avalia Christian Barbosa.
?Use softwares de planejamento. Hoje existem diversos produtos que ajudam a gerenciar metas, equipes e tarefas?, recomenda.
5 ? Saiba dizer não
É comum que o empreendedor seja procurado por seus subordinados sempre que aparece um problema ou uma decisão para ser tomada. E, se ele atende a todas essas solicitações, acaba ficando refém delas.
?O empreendedor precisa saber dizer não, caso contrário vai fazer as tarefas de outras pessoas. Se os funcionários se sentem confortáveis em pedir, eles vão recorrer ao empreendedor sempre. Com isso a equipe não amadurece?, avalia Rodrigo Siqueira.
6 ? Reduza as reuniões
?Quanto mais reuniões, mais desperdício de tempo?, sentencia Barbosa. Segundo o especialista, muitas vezes o excesso de reuniões está ligado à necessidade que o empreendedor tem de controlar absolutamente tudo o que acontece na empresa.
O resultado é que esses momentos comprometem a produtividade, sem trazer benefícios concretos para o negócio.
?O empreendedor muitas vezes tem a necessidade de mostrar quem manda, e quer ficar no controle de tudo. Além disso, ele não usa boas ferramentas de gestão e acaba usando as reuniões apenas para acompanhar o trabalho da equipe?, analisa.

7 – Quando tiver reuniões, seja objetivo
Mesmo após eliminar as reuniões desnecessárias, o empreendedor ainda precisará lidar com aquelas que têm de fato um objetivo. Só que elas muitas vezes se alongam sem necessidade e, além de tomarem o tempo pessoal do empreendedor, prejudicam a produtividade de sua equipe.
A dica de Siqueira para este ponto é estabelecer temas claros a serem discutidos e um prazo para o fim da discussão. ?Sempre que for agendar uma reunião, antecipe o assunto. Isso precisa estar claro antes da reunião, caso contrário ela fica pouco produtiva e as pessoas se dispersam?, aconselha.
8 ? Fuja das distrações
Na era de Facebook, WhatsApp e e-mails, fica difícil se concentrar por muito tempo numa tarefa, por mais importante que ela seja (como o planejamento de uma nova estratégia para o seu negócio).
Para fugir disso, o professor do Ibmec recomenda bloquear as redes nos momentos que exigem maior concentração, a fim de evitar interrupções. ?Ser multitarefas é legal na teoria, mas não funciona bem na prática?, avalia.
9 ? Faça pausas estratégicas
Não adianta imaginar que é só fechar o Facebook que sua produtividade ficará a mil. Nossa mente precisa de algumas pausas em meio ao trabalho para conseguir voltar a produzir, explica Siqueira.
Sendo assim, o professor do Ibmec recomenda paradas estratégicas para espairecer as ideias. ?Fique focado em sua tarefa, mas, se ela for longa demais, estabeleça pausas para navegar nas redes sociais, interagir com quem está próximo ou mesmo fazer uma meditação?.
?A gente tem que monitorar nosso tempo e nossa energia. Você precisa entender como a sua mente funciona para não se engajar muito em uma coisa e ficar sem energia para as outras?, completa.
10 – Domestique seu e-mail
O e-mail corporativo é um dos grandes sugadores de atenção dos empreendedores. Como antídoto, o especialista Christian Barbosa recomenda em primeiro lugar acabar com a cultura dos e-mails com cópia dentro da empresa. ?Hoje todo mundo responde com cópia para todo mundo. Isso desperdiça energia?, afirma.
Outra dica é estabelecer um momento do dia (ou alguns momentos) para se dedicar às mensagens. Ele recomenda ainda dar respostas mais curtas e objetivas. ?Se você precisa escrever mais de três parágrafos, ligue e converse com a pessoa?.
11 ? Sem jornadas extenuantes
Os casos de empreendedores que trabalham até 18 horas por dia são muito comuns. Porém, as jornadas extenuantes são inimigas da produtividade. No caso do empreendedor há um agravante: ele pode querer exigir o mesmo empenho de sua equipe, o que gera problemas sérios para a empresa.
?Eu cometi esse erro. Trabalhava 16 horas por dia e queria que todos fizessem o mesmo. Eu não tinha vida e não aceitava que os outros tivessem. Uma jornada como essa deixa o empreendedor hiperativo, prejudica sua saúde e lá na frente a empresa sente esse impacto?, avisa Christian Barbosa.
12 ? Cuide da sua saúde
O negócio é parte importantíssima da vida de qualquer empreendedor, mas não é a única e não deve se desenvolver em detrimento de outros aspectos. Por isso, saber gerir o seu tempo significa também garantir espaço na agenda para cuidar do corpo e de suas relações pessoais, por exemplo.
?Nós não somos seres que vivemos só para o negócio. Então, tem que cuidar da saúde, da vida social, da espiritualidade. Isso gera mais energia, mais vitalidade. Na verdade só existe uma vida com diversas áreas interdependentes, Se uma não vai bem, as outras também irão sentir?, explica o professor do Ibmec.
O especialista Christian Barbosa concorda: ?Ter tempo para planejar a empresa e para si mesmo são coisas que estão ligadas. O empreendedor precisa enxergar que há uma relação direta entre vida pessoal e trabalho?.
Fonte: Exame.com